top of page

O Dia Mundial da Árvore / dia Internacional da  Floresta celebra-se anualmente a 21 de março.

O objetivo da comemoração é sensibilizar a população para a importância da preservação das árvores, quer ao nível do equilíbrio ambiental e ecológico, como da própria qualidade de vida dos cidadãos. Estima-se que 1000 árvores adultas absorvem cerca de 6000 kg de CO2 (dióxido de carbono).

30% da superfície terrestre está coberta por florestas, onde se realiza a fotossíntese - produção de oxigénio a partir de dióxido de carbono. As florestas, em conjunto com as algas marinhas são apelidadas dos "pulmões do mundo", não apenas pela sua função de manutenção e renovação dos ecossistemas, como também pela sua importância em áreas estratégicas como a economia e a produção de bens e alimentos.

A celebração do Dia Mundial da Árvore  começou a 10 de abril de 1872, no estado norte-americano do Nebraska (EUA). O seu mentor foi o jornalista e político Julius Sterling Morton, que incentivou a plantação ordenada de árvores no Nebraska, promovendo o "Arbor Day".

Em Portugal, a 1.ª Festa da Árvore comemorou-se a 9 de março de 1913 e o 1.º Dia Mundial da Floresta a 21 de março de 1972.

Nesta mesma data, comemora-se também o Dia Mundial da Poesia. 

Na nossa escola juntámos as duas comemorações e resultou num trabalho divertido entre a arte poética e a sensibilização à sustentabilidade do planeta através da plantação de árvores. 

https://www.calendarr.com/portugal/dia-mundial-da-arvore/

20240321_104145 (1).jpg
20240321_104043.jpg
20240321_104056 (1).jpg
20240321_103930.jpg

No dia 8 de março votamos para escolher o nosso livro + fixe. As mesas de voto estiveram na Biblioteca da Escola Básica Diogo Lopes de Sequeira  e os resultados foram os seguintes:

 

1º ciclo 

(A20) Um tubarão na banheira (30 votos)
 

Alunos votantes: 120 (92%)

Abstenções: 10

Nº de obras votadas (envolvidas): 9

2º ciclo 

 (B1) Avozinha Gangster (14 votos)

Alunos votantes: 42 (84%)

Abstenções: 8

Nº de obras votadas (envolvidas): 11

3º ciclo 

(C12) Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban (13 votos)

Alunos votantes: 50 (56%)

Abstenções: 40

Nº de obras votadas (envolvidas): 4

Utiliza o separador "Os nossos CLUBES" e podes acompanhar o nosso trabalho na BIBLIOTECA da  escola! 

Para veres tudo o que fazem as nossas Repórteres clica no botão :

VISITA.webp
Visita de Estudo

a Lisboa, Parque das  Nações,
6º anos


 Padlet  - Turma A 

Padlet -
Turma B 

"No namoro não há guerra."

VER +
VR Goggles

CARNAVAL

" Comemorado em Portugal desde o século XV, o entrudo foi exportado pelos portugueses para a então colónia do Brasil, de onde regressaram, no século XX ,os elementos modernos do samba, que atualmente influenciam o Carnaval de algumas localidades portuguesas." 

Dizem que "a vida são dois dias e o Carnaval  três." 
"É Carnaval ninguém leva a mal"

O mirandês - Língua oficial portuguesa

A história da língua portuguesa refere a evolução da mesma desde a sua origem no noroeste da Península Ibérica até ao presente, como língua oficial falada em Portugal e em vários países de expressão portuguesa.

 Surgiu do latim — idioma falado pelos romanos que se situavam no estado da Península Itálica, o Lácio, que permaneceram no nosso território desde a  primeira metade do século II a. C. até à  invasão bárbara,  do século V d. C.

 É assim uma das línguas neolatinas, ou seja, originou-se do latim vulgar, a forma popular e coloquial do latim clássico, que foi  introduzido no Península Ibérica pelos conquistadores romanos a partir do século III a.C.

Mas existe uma outra língua oficial, o Mirandês.

Mui buona tarde. Stou a outelizar l tradutor Pertués -» Mirandés qu'ancontrei na Net.

La lhéngua mirandesa ye falada an todas las aldés de l cunceilho de Miranda de l Douro, cun scepçon de dues (Atanor i Teixeira), i an trés aldés de l cunceilho de Bumioso (Bilar Seco, Angueira i Caçarelhos), ne l çtrito de Bergáncia.

La lhéngua mirandesa ye l nome oufecial que recibe l'asturo-leonés an território pertués, deribada dua léngua dun antigo reino, l Reino de Lion, chama-se an mirandés (lhéngua mirandesa an mirandés).  Un studo de la Ounibersidade de Bigo rebelou qu'an márcio de 2020 la léngua era coincida de cerca de 3500 pessonas, de las quales cerca de 1500 son capazes d'a falar regularmente. 

O mirandês passou a segunda língua oficial em Portugal há mais de 25 anos, após a aprovação da lei na Assembleia da República, em 17 de setembro de 1998, que conferiu este estatuto ao idioma falado no Nordeste Transmontano.

O reconhecimento oficial de direitos linguísticos do Mirandês data de 1999, mas segundo um estudo da Universidade de Vigo, realizado em 2022, corre o risco de desaparecer em 20 anos se não se alterarem as políticas de defesa e promoção da língua mirandesa.

Na Proposta de Lei no Orçamento do Estado para 2023 foi aprovada, após votação em Comissão, o Artigo 113.º-A. Promoção da Língua Mirandesa (promoçon de la Lhéngua Mirandesa). 

“A língua que se fala no nordeste transmontano, por aldeias de Miranda do Douro e numa parte do concelho de Vimioso, começou a ouvir-se muito antes da fundação da nacionalidade. Conservada a tradição, foi reconhecida como língua oficial de Portugal em 1999, passando a ser ensinada em algumas escolas públicas como disciplina opcional. Neste "Cuidado com a Língua!" damos uma aula de mirandês, a "lhéngua" que precisa de conquistar novos falantes para se manter viva.” RTP Ensina, Cuidado com a Língua

Repórteres da escola.  

Locator_map_of_Miranda_do_Douro.svg.png

Já estamos a trabalhar 

Queres participar ? 

Clube da Biblioteca 
Teatro
Repórteres da Escola

Clube da Rádio - RAEA Rádio do AEAlandroal

CPRAEA - Clube de Programação e Robótica do AEAlandroal - participa no concurso LOGOTIPO 

água

Ciclo hidrológico!
Exposição dos trabalhos realizados pelos alunos do 5º ano na disciplina de Ciências Naturais, na BE até 12 de janeiro 

Hoje é Noite de Reis
 

Dia de Reis – dia 6 de janeiro  (Epifania) 

É uma tradição cristã que surgiu no século VIII e representa o dia em que Jesus Cristo, recém-nascido, recebeu a visita de magos do Oriente, depois de serem guiados por uma estrela. Os Reis Magos ofereceram  ao Menino Jesus ouro, incenso e mirra. É nesta data que se encerram, para os católicos, os festejos natalícios, sendo tradição desmontar os presépios e retirar os enfeites natalícios.

Da tradição fazem parte tradições distintas que vão desde pintar os reis ( em Alenquer desenham-se  as paredes das casas com temas alusivos aos Reis Magos) comer bolo-rei, que antigamente tinha uma fava e um brinde. Quem encontrasse a fava devia oferecer o bolo no ano seguinte ) ou cantar as Janeiras, os Reis ou Reisadas.

No Alentejo cantar na noite de Reis, de 5 para 6 de janeiro,  é uma das mais enraizadas tradições. De porta em porta grupos de cantadores vão pedindo ou agradecendo as ofertas numa noite que se prolonga e é aproveitada  para confraternizar e interpretar os cantares ao “menino” e outros temas bem característicos da identidade e património  alentejano. Hoje em dia,  é uma forma de manter a tradição e o cante alentejano vivo, uma tradição que veio longe no passado, que nasceu da necessidade de pedir para  ter de comer. Antigamente, este cantar não era organizado institucionalmente, era a necessidade popular que constituía os seus grupos. «... Dantes, cantava-se à porta dos lavradores que ajudavam a mitigar carências reais, contribuindo para minorar dificuldades óbvias e patentes dos "trabalhadores rurais"» (Grupo cantares dos Reis, Alandroal, 2009)

“Ó Sra. Lavradora

Venha ver quem aqui vem

Venha-nos dar uma esmola

Por alma de quem lá tem.”

No Alandroal cumpre-se a tradição e, vestidos com o tradicional capote alentejano, hoje, à porta das instituições e casas comerciais, o grupo de Cantares dos Reis percorrerá as ruas da sede do Concelho e reproduzirá a época dos seus avós e bisavós que se juntavam e iam batendo às portas dos moradores perguntando:

“Dá licença que cante os Santos Reis?”

As portas mantinham-se fechadas e esperava-se a resposta. E a “desgarrada” só se iniciava  após a aceitação do dono da casa.

FELIZ NATALLL!

As prendas de Natal

 Vêm dos tios, dos avós

em embrulhos coloridos:

são livros e são brinquedos

já há muito prometidos

 

E nunca mais chega a hora

de serem desembrulhados;

enquanto o momento tarda

há meninos acordados.

 

Ao Natal do presépio

deram os reis os presentes

magos, vindos de tão longe

com túnicas reluzentes.

 

O menino, mal os viu,

logo se pôs a pensar:

“Talvez o melhor presente

seja o amor que vou dar.”

 

Chega embrulhado no sono

o presente mais gostoso:

é o colinho dos pais

abrindo a porta ao repouso.

 

E paira no ar a pergunta

que faz o maior sentido:

para se ter um presente,

há que tê-lo merecido?

 

Seja Jesus ou Pai Natal,

nisto hão de concordar:

o que conta nesta vida

é sabermos partilhar.

 

José Jorge Letria 

ilustrações de Afonso Cruz, editora Oficina do Livro: 2008

WhatsApp Image 2023-12-15 at 15.20.35.jpeg
      A Hora do Conto 

É um momento de promoção da leitura e, tem sempre, uma atividade diretamente
relacionada com a história lida.
O livro  tem o papel principal, na medida em que tudo parte da sua leitura e da sua
interpretação individual. É sempre abordado com um objetivo educativo, 
para que os alunos  encontrem nele,  e  no espaço  Biblioteca,  um estímulo à
imaginação e à criatividade, desenvolvam capacidades de concentração e de atenção , de enriquecimento  do vocabulário, de valores, de  ligação afetiva  entre si e entre os adultos e se formem como  crianças  tolerantes e respeitosas com as diferenças.
No mês de Outubro  contámos os livros : Desculpa,  por acaso és uma bruxa?  e Não faz mal ser diferente. 

Nos meses de Novembro e Dezembro : 

Como apanhar uma estrela, Oliver Jeffers: conto - 1º e 2º anos de Alandroal

Nasceu o Menino Jesus, Dick Bruna ; versão portuguesa Maria Adelaide Couto Viana:  conto - JI Pias, JI Alandroal, 1º ano e 2º ano de Alandroal.

Certa noite num estábulo, Guido Visconti:  conto 1º ciclo Terena e Pias

JI Pias 13.jpg
Hide and Seek
Queres fazer parte da tua Biblioteca ? Inscreve -  te no Clube da Biblioteca no balcão de atendimento da BE Diogo Lopes de Sequeira 
Teatro - Repórter Escolar - 2 atividades à tua espera. 

Formação de Utilizadores

A formação de utilizadores tem como objetivo proporcionar aos utilizadores as competências e as ferramentas necessárias para poderem utilizar autonomamente de uma forma eficaz os recursos da BIBLIOTECA ESCOLAR .

No mês de Outubro - MÊS DAS  BIBLIOTECAS ESCOLARES  fizemos a Formação de utilizadores  nas nossas Bibliotecas (Pias e Alandroal) 

A TERRA TREME é um exercício organizado anualmente pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

Pretende alertar e sensibilizar a população sobre como agir antes, durante e depois da ocorrência de um sismo.

Os 3 gestos BAIXAR, PROTEGER, AGUARDAR são a melhor resposta para nos protegermos em caso de sismo.

O exercício ajudará a conhecer e praticar estes 3 gestos que podem salvar vidas.

                 14 de novembro - 11.14                    
 

Hoje na Biblioteca !
Acesso a mais informação 
CPR do AEAlandroal- Treino de Música

O  espaço Biblioteca recebe, nas quartas feiras à tarde, os alunos do Clube de Programação e Robótica (CPR)

Podes acompanhar o trabalho realizado pelos alunos participantes neste clube acedendo ao separador que encontras no menu - Os nossos CLUBES 

A LÍNGUA PORTUGUESA 

i. É uma língua falada por mais de 260 milhões de pessoas nos cinco continentes, em 2050 serão quase 400 milhões e em 2100 serão mais de 500 milhões, segundo estimativas das Nações Unidas;

ii. As projeções para o final do século apontam que será no continente africano que se registará o maior aumento do número de falantes. Estima-se que Angola tenha uma população superior a 170 milhões de pessoas e Moçambique uma população superior a 130 milhões de pessoas;

iii. É a língua mais falada no hemisfério sul;

iv. 3,7% da população mundial fala português;

v. É a quarta língua mais falada no mundo como língua materna, a seguir ao mandarim, inglês e espanhol (observatório da língua portuguesa).

vi. O português é a língua oficial dos 9 países membros da CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – e em Macau. As 9 economias da CPLP, em conjunto, valem cerca de 2,7 biliões de euros, o que faria deste grupo a sexta maior economia do mundo, se se tratasse de um país (FMI);

vii. Os países de língua portuguesa representam 3,6% da riqueza total do mundo, 5,48% do global das plataformas marítimas, 16,3% de disponibilidade global de reservas de água doce, 10,8 milhões de km2;

viii. A Língua Portuguesa é língua oficial e/ou de trabalho em 32 organizações internacionais, de entre as quais se destacam: Organização dos Estados Americanos (OEA), Mercosul, Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), Comissão Económica para a América Latina e Caraíbas (CEPAL), Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), União Africana (UA), Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), União Europeia (UE), CPLP, Organização Mundial da Saúde, Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC), Comunidade de Estados do Sahel-Saara (CEN-SAD), Associação LatinoAmericana de Integração (ALADI), União de Nações Sul-Americanas (UNASUL), Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul (ZPCAS), Mercado Comum da África Oriental e Austral (COMESA), Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), UNESCO;

ix. Há 56 universidades na República Popular da China que ensinam o português como língua estrangeira e aproximadamente 5000 alunos que frequentam esses cursos;

x. O português é a quinta língua mais utilizada na internet, teve uma taxa de crescimento de quase 2000 % entre 2000 e 2017, é a terceira ou a quarta mais utilizada no Facebook; xi. Na área da ciência, embora o inglês seja a língua dominante, a língua portuguesa tem conseguido criar os seus espaços próprios de comunicação e publicação científica. O Brasil criou a Scientific Eletronic Library Online, amplamente participada por países de língua portuguesa e espanhola. As revistas e cientistas de língua portuguesa também vão tendo presença crescente em outras bases de revistas científicas de alcance global, como a SCOPUS e a Web of Science. Há também vários repositórios académicos e portais de conhecimento de acesso aberto online, designadamente no Brasil, Cabo Verde e Portugal. Fonte Instituto Camões

https://www.instituto-camoes.pt/sobre/comunicacao/noticias/dia-mundial-da-lingua-portuguesa-2023

"O projeto é como uma aula ao ar livre: foi pensado para inspirar as escolas do país, mas pode ser uma semente lançada em qualquer lugar." 

sustentabilidade-na-digitale-1.jpg

Sustentabilidade que futuro?      

A sustentabilidade ambiental procura  diminuir os impactos das ações humanas sobre o meio ambiente! 

Coordenação para a Cidadania 

A Biblioteca e o Leitor Aprendiz que Lendo Quer Ser Feliz

José Jorge Letria (2003)

A biblioteca é uma casa

Onde os livros moram

Como uma família feliz,

Embora seja muito diverso

Seja em prosa, seja em verso,

Aquilo que cada um diz.

 

A biblioteca é o tecto

Do afecto e do amor da leitura,

Saboreada devagar,

Cada página uma aventura,

Como quem tece o fio

Do novelo da ternura.

A biblioteca é o lugar das perguntas

Que às vezes ficam sem resposta,

E é disso que ela mais gosta,

Por entender que as certezas

Não são a melhor aposta

E que as dúvidas,

Por serem aquilo que são,

Acabam, tarde ou cedo,

Por iluminar o coração.

 

A biblioteca é o livro e o jornal,

O vídeo e a internet,

O sítio que nos promete

essa festa sem igual

da descoberta de um autor,

que se faz caso de amor,

com a ideia original

de que nada é banal

se for um acto criador.

 

A biblioteca é a casa

Mais doce e mais terna

Que podemos desejar

Quando partimos em busca

De um livro ou de um poema

Que nos pode transformar,

Se for o ouro do que somos

Que nós queremos encontrar.

 

A biblioteca é a arca

Do tesouro mais secreto

Que pode caber, sem o saber,

No casulo do afecto,

Arca branca da magia

Que habita o território

Onde mora a poesia.

 

A biblioteca é o tecto

Que abriga o Principezinho,

Peter Pan e Anne Frank

E todos os outros heróis,

Luminosos como sóis

De uma galáxia distante

Por onde passa o cometa

Da imaginação errante,

Que por ser livre e veloz

Chegará ao fim da história

Alegre e triunfante.

 

A biblioteca é um livro aberto

Com janelas que nos mostram

O oceano ou o deserto

E que nos ensina que é em nós

Que o rio do que sabemos

Há-de encontrar a foz,

Porque é sina dos leitores,

Sendo livres como livros,

Nunca ficarem sós.

 

A biblioteca é a pepita escondida

E o diamante guardado

Que dentro de um livro

Levamos para todo o lado

Sem nunca sentirmos medo

Do gozo que ele nos dá

Ou mesmo do desassossego

Que nele se encontrará,

Mistério irrevelado

De um capítulo inacabado.

 

A biblioteca tem ecos de sinfonia

E conversa com a prima

Que mora em Alexandria

E que já viu as coisas más

De que o homem se não lê

Acaba por ser capaz,

Só por temer que a leitura,

Iluminando a cidade,

Escreva por dentro de nós

A palavra liberdade,

Como se com ternas letras

Quisesse chegar mais longe

E desenhar na lombada

O nome da felicidade.

 

A biblioteca é a viagem

Do nosso encantamento,

Entre o fio do silêncio

E a voz do pensamento,

É o novelo dos dias

Levando de estante em estante

Romances e poesias,

A vogal e a consoante,

Inventos e fantasias

E a aventura galante,

Fazendo de cada leitor

Um eterno viajante.

 

A biblioteca é a casa

Desse eterno leitor aprendiz

Que lendo e relendo,

Vai descobrindo e esquecendo,

Assim como quem diz:

Cada livro que descubro

É apenas mais um passo

Para me sentir feliz.”

 

 

 

Os alunos de Pias da Turma P1CB participaram no projeto MUSEU PORTÁTIL.

Ao longo do ano letivo de 2021/2022, o Serviço Educativo da Fundação Eugénio de Almeida desenvolveu o projeto MUSEU PORTÁTIL, uma ação de Inclusão pela Cultura no âmbito do Transforma – Programa para uma Cultura Inclusiva do Alentejo Central, promovido pela CIMAC - Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, em escolas do 1º Ciclo do Ensino Básico do Alentejo Central.

O projeto propôs-se percorrer os caminhos da arte contemporânea e do património cultural, explorando técnicas artísticas como a pintura, o desenho, a escultura, a gravura, mas também a escrita e as práticas curatoriais.

Desafiados a pensar sobre os conceitos de museu, coleção, identidade, valor e território, cada turma recebeu um ‘Museu Portátil’ – um objeto mediador que marcou o ponto de partida e que se tornou o ‘contentor’ de todos os trabalhos produzidos pelas crianças.

 Acede a e verás o que pensam os nossos alunos do projeto  https://www.youtube.com/watch?v=eMU6zMA_gNM . 

Participação dos alunos da turma do 8ºB, Escola Diogo Lopes de Sequeira, Alandroal, no concurso "Canção à espera de palavras"- APEM. Letra e voz: turma do 8ºB


"Sentir é Natural"
O fim-de-semana começou
E para o campo eu vou
Ai, que saudades da cor do sol
De viver ao ritmo de um caracol
Quem me dera ser tal como a água
Saber abraçar a mágoa
Sentir que tudo é natural
Neste lugar tão especial
Porque a vida
Tem tantas surpresas para dar
Umas boas E outras que me dão vontade de chorar
Porque a vida É para se viver com alegria
Nem tudo é magia
Tal como os pássaros, também eu
Quero ter asas, voar...
Neste movimento igual à vida
Ela está sempre, sempre a mudar.
Porque a vida Tem tantas surpresas para dar
Umas boas E outras que me dão vontade de chorar
Porque a vida É para se viver com alegria
Vem ouvir o mar
O seu som vai-te acalmar
As ondas vão-te embalar
Olha as estrelas a brilhar
Elas vão-te encantar
Escuta sempre o coração
Vais encontrar a gratidão


 

Mar calmo
Exmo. Sr. Presidente da República de Portugal
Dr. Marcelo Rebelo de Sousa
ASSUNTO: Aposta na Energia Eólica

Exmo. Sr. Presidente da República de Portugal, somos duas estudantes do 8º ano, do Agrupamento de Escolas de Alandroal e, como estamos preocupadas com o impacto da utilização de energias não renováveis no planeta, vimos por este meio, pedir que apostem na energia eólica. A energia eólica é a transformação da energia do vento em energia útil, através da utilização de aerogeradores, para produzir a electricidade, moinhos de vento para produzir energia mecânica ou velas para impulsionar veleiros.
As vantagens da energia eólica são:
  •  A sua fonte é um recurso inesgotável por isso é uma energia renovável; 
  • É uma energia limpa pois não emite poluentes para a atmosfera no processo de geração de energia;
  •  A aposta na sua utilização contribui para a diminuição dos gases que promovem o efeito de estufa.
  • Ainda que as vantagens sejam muito superiores às desvantagens, estas também existem: 
  • Impacto sonoro o som do vento bate nas pás produzindo um ruido constante; 
  • Impacto sobre as aves no local principalmente pelo choque destas nas pás, efeitos desconhecidos sobre a modificação dos seus comportamentos habituais de migração; 
  • Pode ser ultrapassado com as pilhas de combustível ou com as técnicas de bombagem hidroeléctrica.

Pode ser ultrapassado com as pilhas de combustível ou com as técnicas de bombagem hidroeléctrica.
Consideramos que seria muito importante o país investir cada vez mais nas energias renováveis, nomeadamente na energia eólica. É uma energia limpa e inesgotável. Desta forma contribuiríamos para a sustentabilidade e para a diminuição da poluição. 
Obrigada pela sua compreensão e aguardamos a sua resposta.

Alandroal, 01 de abril de 2022
Sónia Rebocho, nº14, 8ºA Sara Gomes, nº 12, 8º A
céu

Alandroal,30 de março de 2022

Excelentíssimo Sr. José Manuel Bolieiro

Nós Joana Rasteiro e Cláudia Ramalho alunas do 8º ano da escola do Alandroal vimos por este meio,  como cidadãs preocupados com o país falar-lhe de uma energia renovável ainda com pouca importância a nível do nosso país, energia geotérmica ou geotermal.

Energia geotérmica é a energia que se obtém a partir do calor vindo do interior da Terra. Este calor existe numa parte abaixo da superfície do planeta, estando nuns locais mais perto da superfície do que outros e tornando mais fácil a sua utilização. Existem dois tipos de energia geotérmica: pequenas instalações, esta tecnologia é normalmente utilizada para obter água quente sanitária e é também utilizada em sistemas de aquecimento geotérmico. Outro tipo são as grandes centrais geotérmicas utilizadas para produzir eletricidade.

Tendo como vantagens: ser uma energia renovável pouco poluente, que não precisa de combustível e desta forma as reservas não são esgotadas; de alta eficiência(é a energia mais eficiente); tem uma produção constante, ou seja, é produzida durante todo o ano; é uma fonte que se pode encontrar em vários locais do nosso planeta; é independente das variações climáticas; pode ser utilizada em residências isoladas onde não há eletricidade;  produz muito pouco desperdício e os resíduos produzidos são poucos e não há emissão de dióxido de carbono(CO2) nem outros gazes que provocam o efeito de estufa; tem uma manutenção fácil, um bom desempenho e de baixo consumo; tem um visual muito baixo pois é uma instalação subterrânea.

Tem como desvantagens: as primeiras etapas deste processo são caras e longas e as vezes não são lucrativas, é invariável nas cidades e normalmente é ocupada por esgotos, gás natural e canalização de eletricidade, precisa-se de realizar alguns estudos antecedentes que acabam por ficar caros, requerem máquinas específicas e investimentos, em caso de acidente podem ser emitidos alguns gases como por exemplo sulfeto de hidrogénio não sendo percetível em grandes quantidades mas letal, não se pode utilizar como fonte primária de calor, deve ser consumido no mesmo local.

Sugerimos-lhe que promova a energia geotérmica no arquipélago dos Açores, apesar das três centrais geotérmicas em funcionamento pois é uma ilha vulcânica e com isso consegue-se obter o calor vindo no interior da Terra.

Esperamos que de alguma forma consiga aplicar a energia geotérmica no arquipélago dos açores apesar de algumas desvantagens é uma energia renovável e bastante sustentável, agradecemos a sua atenção.

 

 

Com os melhores cumprimentos

Cláudia Ramalho e Joana Rasteiro, 8ºB

Alandroal, 30 de março de 2022

Excelentíssimo Sr. João Pedro Matos Fernandes,

 

Vimos por este meio apresentar uma proposta para combater a dependência de combustíveis fósseis a que Portugal está sujeito.

Portugal ainda depende muito dos combustíveis fósseis para o fornecimento de energia. A dependência energética de Portugal é de cerca de 70%. Para reduzir tal dependência, deve-se investir na produção de energia a partir de fontes renováveis, como solar, biomassa, eólica, hídrica...

Sendo que na nossa opinião, a mais rentável será a energia das Ondas e Marés. Tendo em conta a localização geográfica de Portugal e a extensão da sua costa. Pois, trata-se de uma fonte inesgotável de energia, uma vez que provém do movimento das ondas do mar ou das correntes marítimas.

Para a captação da energia das Ondas e Marés, é preciso construir barragens, eclusas e unidades geradoras de energia. As barragens são construídas próximas ao mar e os diques captam e armazenam a água durante a maré alta. Quando ocorre a maré baixa, a água é devolvida para o mar e passa por uma turbina que gera a energia elétrica.

Algumas das vantagens da produção de energia, através das ondas e das marés, é o facto de ser uma fonte de energia renovável, inesgotável, uma fonte de energia limpa e amiga do meio ambiente. Existem várias formas de recolher esta energia, embora a sua implantação e os seus equipamentos possuam valores altos, as instalações exigem pouca manutenção. Podendo apresentar uma considerável produção de energia (pois o volume de águas no mar é imenso, logo as ondas podem gerar altos níveis de energia).
As desvantagens de se utilizar este processo, na obtenção de energia deve-se ao facto de a geração de energia depender do vento e das condições do mar. Na fase de implementação das estruturas ser necessário um alto investimento e um reforço das instalações para suportar tempestades. Sendo apenas possível instalar centrais de captação deste tipo de energia em locais que atendam todas exigências geomorfológicas e a sua construção pode originar grandes impactos ambientais devido à criação de albufeira.

No entanto, tendo em causa a "saúde" do nosso planeta achamos que as vantagens superam em larga medida as desvantagens.

Pelo que, esperamos da vossa parte uma maior sensibilização para este tipo de produção de energia. E que a curto prazo, a energia das Ondas e das Marés passe a ser a principal fonte energética de Portugal, diminuindo assim a dependência dos combustíveis fósseis.

Todos temos que ajudar o nosso planeta o mais depressa e melhor possível!

Com os melhores cumprimentos,

Beatriz Rocha e Carolina Freira, 8ºB

 Foi pedido aos alunos que escrevessem uma carta a uma entidade pública e com poder de decisão, onde sugerissem porque devia ser feito um investimento numa determinada energia renovável, de forma a ser utilizada como principal fonte energética.

 

Foi-lhes também dito que deveriam ter em conta o facto das alterações climáticas serem cada vez mais uma constante no nosso planeta. As emissões de dióxido de carbono têm aumentado de forma acentuada, levando ao aquecimento global. Por esta razão, têm que ser procuradas soluções energéticas alternativas aos combustíveis fósseis (os grandes responsáveis por este aquecimento).

Prof.: Lúcia Vasconcelos - Ciências Naturais  

Earth Day

Since 1970, the 22nd of April is observed all over the world as Earth Day. Since that year, due to the Santa Barbara oil spill, people became more aware on environmental issues in general. 

To celebrate Earth Day, the 4th grade students from A1CD class, listened to the story "Miss Fox's Class goes green" by Eileen Spinelli, shared their experiences to the class and together they built this word cloud with some very expressive words. 

We only have one planet, keep it save, there is no Planet B.   
Prof: Ana Mira - Inglês      

O SeguraNet tem como missão promover a Educação para a Cidadania Digital.
bottom of page